Categoria: Da minha avó

Testes de receitas dos cadernos da avó Etelvina.

Bolo-relâmpago, pudim com limão, ameixas tostadas de Paola Carosella… As receitas mais vistas de 2015

Não sei de você, mas eu comi muito bem em 2015. Para fechar o ano, listo abaixo as 5  receitas mais populares n’O Caderno de Receitas nos últimos 12 meses. Gente de bom gosto visita o blog, viu?

Feliz 2016 e bom apetite!

5. O bolo de liquidificador que já é um clássico do blog.


Publiquei o post em 2014, mas ele continua entre os mais vistos. Pudera: além de gostoso, o bolo é facílimo de fazer.

Ingredientes
11 colheres de sopa de açúcar (mais um pouco para polvilhar)
10 colheres de sopa de farinha de trigo
1 colher de sopa de manteiga (mais um pouco para untar)
1 colher de sopa rasa de fermento químico em pó
3 ovos
1 xícara de leite
1 pitada de sal
Canela em pó

Modo de preparo
Bata todos os ingredientes no liquidificador até obter uma massa bem líquida. Despeje a massa em um tabuleiro untado e asse em forno médio-alto (200 ºC) até ficar levemente dourada (faça o teste: quando enfiado no meio da massa, um palito deve sair sem pedacinhos grudados). Polvilhe açúcar e canela sobre o bolo assado.

4. O pudim que eu penei para aprender, mas que no fim ficou incrível.

Pudim de leite condensado, baunilha e limão: refiz a receita para descobrir o que minha avó não dizia (foto: O Caderno de Receitas)

Juntei a receita do pudim de leite condensado com baunilha e raspas de limão da minha avó Viquinha e as dicas de experts em doces.

Ingredientes
1 lata de leite condensado
1 lata de leite de vaca (medido na lata de leite condensado)
4 ovos
Alguns pingos de extrato de baunilha
Raspas de um limão (pode ser substituído por uma laranja)
1 xícara de açúcar

Modo de preparo
Misture todos os ingredientes, exceto o açúcar, e bata bem. Reserve.

Mexendo sempre com uma colher de pau, derreta o açúcar em uma panela no fogo médio. Quando começar a dourar, junte meia xícara de água (com cuidado, porque o açúcar fica muito quente). Continue a mexer até criar uma calda homogênea.

Use a calda para untar uma forma para pudim e despeje o resto no fundo da forma. Cubra com o creme feito com os outros ingredientes.

Coloque a forma de pudim sobre uma tigela preenchida com água, para cozinhar em banho-maria. Cubra a forma de pudim com um pedaço de papel-alumínio. Leve ao forno a 180ºC. Quando a superfície começar a mudar de cor, faça um teste enfiando um palito na massa. Se sair seco, está pronto (no meu forno, isso demorou cerca de uma hora. Talvez eu pudesse ter cozinhado um tiquinho menos).

Deixe o pudim na geladeira por pelo menos seis horas.

Na hora de desenformar, aqueça um pouco o fundo da forma na chama do fogão. Passe uma facas nas laterais. gire a forma de um lado para o outro e então vire-a sobre um prato grande o suficiente para comportar toda a calda. Se for preciso, dê batidinhas no fundo da forma até o doce se soltar.

3. Abacaxizinho: um doce com gosto de festa infantil à moda antiga
Abacaxizinhos
Nada (nada!) contra brigadeiro, mas vamos variar o docinho de festa, né?

Ingredientes
2 abacaxis descascados
1 coco ralado (se você não tiver ralador de coco nem for masoquista, pode comprar o coco em saquinho ou ralado na feira)
900 gramas de açúcar (parece muito, e é. Tentei fazer com 300 gramas e não deu liga, então encarei as calorias e joguei os 600 restantes. Ficou bom, mas doce doce)

Modo de fazer
Bata o abacaxi em pedaços no mixer (a receita original mandava passar no moedor de carne, mas eu não tenho um moedor de carne). Junte o açúcar e o coco ralado. Coloque tudo em uma panela em fogo médio (como minha mãe tinha me avisado, a casa se enche de um cheiro de abacaxi e coco sensacional). Mexa até o doce começar a despregar do fundo da panela.

Quando a massa esfriar, faça bolinhas e passe por coco ralado.



2. Ovos com brioche e queijo ao forno.

Ovo ao forno: uma cara mais sofisticada para o meu amado pão com ovo
Viva o pão com ovo! Ou o oeuf cocotte, para ser fina.

Ingredientes
1 xícara de brioche rasgado em pedacinhos (o original pedia simplesmente pão, mas resolvi esnobar)
3 colheres de sopa de leite
1 colher de chá de manteiga
Sal
Pimenta-do-reino
Noz-moscada
Queijo (usei o suíço raclette, mas fique à vontade para usar outro)

Modo de preparo
Jogue o leite sobre o pão, deixando-o bem úmido. Esmigalhe a manteiga por cima. Tempere com uma pitada de sal e pimenta-do-reino e noz-moscada moídas na hora. Misture tudo com uma colher.

Transfira o pão umedecido para uma tigelinha. Cubra com o queijo em pedaços ou ralado. Por cima de tudo, quebre um ovo.

Leve a tigela ao forno (180 ºC) por 15 a 20 minutos. Na hora de servir, salpique sal e pimenta (usei uma mistura de vários tipos).

1. Ameixas tostadas com amaretto e baunilha de Paola Carosella

Paola recomenda fazer as ameixas "com cariño e boas intenções" (foto: divulgação / Jason Lowe)
Adorei conversar com a cozinheira sobre lembranças de infância, ingredientes frescos, receitas e, claro, MasterChef. O post com uma apetitosa sobremesa ensinada por Paola foi o mais lido de 2015. (A foto é de Jason Lowe.) 

Ingredientes
400 g de ameixas frescas
1 fava de baunilha
3 colheres de sopa de açúcar mascavo
3 colheres de sopa de licor amaretto (ou suco de laranja se não quiser usar álcool)
Para servir:
Creme de leite fresco batido sem açúcar ou iogurte grego ou sorvete de baunilha

Modo de preparo
Pré-aqueça o forno a 180 graus.

Lave e seque as ameixas.

Corte-as no meio (pode deixar o caroço que não sair facilmente).

Aqueça por 5 minutos uma travessa de louça ou vidro ou ferro dentro do forno.

Abra a fava de baunilha no centro, retire as sementes e coloque-as dentro de uma bacia junto com o açúcar e o amaretto.

Misture bem e coloque a fava aberta junto.

Acrescente as ameixas e misture com as mãos por um minuto com cariño e boas intenções. Coloque na forma pré-aquecida.

Leve ao forno por 10 minutos.

Retire e coloque num prato bonito as ameixas e tente resgatar a maior parte do suco que soltaram. Regue as ameixas com essa calda.

Ofereça o creme chantilly ou iogurte ou sorvete à parte. Pode acompanhar amêndoas torradas.

Bolo de fubá com raspas de limão e queijo ralado

bolo de fubá com raspas de limão e queijo ralado

Folheei os cadernos de receita da família em busca de um bolo que pudesse virar um lanche na mesma tarde. Logo me engracei com os bolos de fubá. Coisa simples, gostosa até de falar. Dispensei as versões com leite de coco ou com erva doce porque não tinha esses ingredientes em casa e optei por esta, com raspinhas de limão e queijo ralado.

Decidi colocar menos açúcar do que o recomendado nas anotações da minha avó Viquinha, o que mais tarde se mostrou um engano. Ficou gostoso, mas o parmesão e o sal se destacaram um pouco mais do que seria adequado. Outro erro foi atender os pedidos ansiosos do meu filho de 3 anos e não esperar a massa esfriar o suficiente. Na hora de desenformar, ela ainda estava muito quente e meio mole, e desmoronou em certos pontos.

Uma semana depois, resolvi refazer o teste, porque o gosto estava muito bom. Dessa vez, fiz tudo direitinho e ainda usei um fubá orgânico em vez do fubá convencional da primeira tentativa. Consegui um belo bolo, daqueles que, acompanhados de chá ou café, dão um gosto especial para uma tarde de fim de semana.

receita de bolo de fubá

Teste número 49: bolo de fubá
Fonte – Caderno de receitas da minha avó Viquinha.
Grau de dificuldade – Fácil.
Resultado – Gostoso, ainda que tenha quebrado em alguns pontos e ficado um pouco salgado.

Teste número 50: o mesmo bolo de fubá
Fonte – Caderno de receitas da minha avó Viquinha.
Grau de dificuldade – Fácil.
Resultado – Uma delícia de bolo de fubá. Recomendo puro ou com geleia.

Ingredientes
2 colheres (sopa) de manteiga
1 ½ xícara de açúcar
1 ½ xícara de fubá
1 ½ xícara de farinha de trigo
1 ½ xícara de leite
1 ovo
1 colher (sopa) de fermento químico
1 colher (café) de sal
3 colheres (sopa) de parmesão ralado
Raspas da casca de 1 limão

Modo de preparo
Na batedeira, primeiro misturei a manteiga com o açúcar. Juntei aos poucos os outros ingredientes, peneirando previamente a farinha, o fubá e o fermento, e bati tudo muito bem. Coloquei em uma forma de bolo untada e enfarinhada e levei ao forno a 200ºC até assar (o que levou cerca de 30 minutos).

bolo de fubá na forma

 

Leia também:

Chips de batata-doce assados e crocantes

A maior festa junina do mundo (e uma receita de curau)

Lampião e Maria Bonita – doce junino de goiabada caseira, queijo e calda de rapadura

Pãezinhos de milho para comer com manteiga

Pipoca caramelizada da infância do chef Leo Paixão

10 ideias para variar a pipoca

Biscoitos para o Dia dos Professores

img_8299Fiquei feliz da vida de saber que minha amiga Maria Clara preparou junto com a filha uma receita aqui do blog, os biscoitos 1-2-3. Além da receita básica, elas fizeram versões com gengibre, mel e gotas de chocolate e com cacau, mel, castanha-do-pará e nozes. Em vidros decorados com renda e adesivos (como mostram as fotos feitas por ela), os quitutes viraram presentes para o Dia dos Professores.

Abaixo, publico novamente essa receita fácil, fácil.

Ingredientes
100 gramas de açúcar
200 gramas de manteiga
300 gramas de farinha de trigo

Modo de preparo
Com a ajuda do meu filho, amassei a manteiga com o açúcar e a farinha. Quando a massa estava bem uniforme, a estendi em uma superfície enfarinhada, usando um rolo de macarrão — estendi um pouco de cada vez, porque a massa grudava no rolo. Moldamos as bolachinhas com um cortador de biscoitos (essa é uma parte especialmente divertida para as crianças). Assei em forno pré-aquecido a 180ºC.


Para cozinhar mais:

Sanduichinhos doces de castanha-do-pará

Bolinho de castanha-do-pará recheado de manteiga baunilhada
Bolinho de castanha-do-pará recheado de manteiga baunilhada

Este é um doce bem delicado. Parece um pequeno sanduíche de bolo de castanha-do-pará. Fiz para servir na festa de aniversário do meu filho, mas pode muito bem acompanhar um chá ou um café.

Teste número 47: romanos (docinhos de castanha-do-pará)
Fonte – Caderno de receitas da minha avó Viquinha.
Grau de dificuldade – Fácil.
Resultado – Fofinho e gostoso.

Ingredientes
6 ovos (com gemas e claras separadas)
10 colheres (sopa) de açúcar
16 castanhas-do-pará (segundo a receita, também é possível usar 40 nozes ou 40 amêndoas) moídas

1 colher (sopa) de farinha de trigo
Para o recheio
100 gramas de manteiga
100 gramas de açúcar
1 clara de ovo
1 colher (café) de extrato de baunilha

Modo de preparo
Fiz uma gemada batendo as gemas e o açúcar. Juntei as castanhas moídas, a farinha de trigo e as claras batidas em neve. Despejei em um tabuleiro untado e levei ao forno médio até dourar levemente. Depois cortei a massa em quadradinhos.

Para o recheio, bati a manteiga e o açúcar, depois juntei a clara em neve e o extrato de baunilha.

Montei sanduichinhos de castanhas unindo pares de quadrados com o recheio amanteigado.

Brigadeiros, docinhos de castanha-do-pará e banana-passa recheada de doce de leite
Brigadeiros, docinhos de castanha-do-pará e banana-passa recheada de doce de leite

Mais receitas para festas

Biscoitos 1-2-3

Biscoitos 1-2-3: receita simples de fazer e de memorizar
Biscoitos 1-2-3: receita simples de fazer e de memorizar

Você conta 1, 2, 3 e os biscoitos já estão prontos. Exagero? Um pouco, mas esta receita, tirada do caderno da minha avó Viquinha, é realmente muito simples de fazer: preparei no fim de semana, com a ajuda do meu filho de 3 anos. É também fácil de memorizar, já que os números do nome se referem à proporção dos ingredientes: 1 parte de açúcar para duas de manteiga e três de farinha.

Teste número 45: biscoitos 1-2-3
Fonte – Caderno de receitas da minha avó Viquinha.
Grau de dificuldade – Facílimo —  até para uma criança (exceto a parte do forno).
Resultado – Um biscoito simples, bom para acompanhar um café ou servir com geleia.

Ingredientes
100 gramas de açúcar
200 gramas de manteiga
300 gramas de farinha de trigo

Modo de preparo
Com a ajuda do meu filho, amassei a manteiga com o açúcar e a farinha. Quando a massa estava bem uniforme, a estendi em uma superfície enfarinhada, usando um rolo de macarrão — estendi um pouco de cada vez, porque a massa grudava no rolo. Moldamos as bolachinhas com um cortador de biscoitos (essa é uma parte especialmente divertida para as crianças). Assei em forno pré-aquecido a 180ºC.

Biscoito recheado (com geleia de amora): bem melhor que qualquer um comprado no supermercado
Biscoito recheado (com geleia de amora): bem melhor que qualquer um comprado no supermercado

Banana flambada com creme batido — doce rápido e flamejante

Banana flambada e creme batido: sobremesa simples, mas com emoção
Banana flambada e creme batido: sobremesa simples, mas com emoção

Nem tinha planejado fazer sobremesa para o jantar, mas vi essa receita no caderno da minha avó Viquinha, anotada como banana flambé. Apesar do sotaque francês emprestar certa sofisticação ao doce, o passo a passo parecia simples, e eu tinha tudo de que precisava. Superei a insegurança quanto a flambar (atear fogo na bebida despejada na frigideira) e preparei um bom doce de última hora.

Teste número 43: banana flambada
Fonte – Caderno de receitas da minha avó Viquinha.
Grau de dificuldade – Fácil (mas exige atenção).
Resultado – Um jeito menos saudável mas bem mais divertido de servir fruta de sobremesa.

Ingredientes*
4 bananas grandes
¼ de xícara de manteiga
½ colher (sopa) de raspas de laranja
2 colheres (sopa) de licor Cointreau
Açúcar para polvilhar
Creme de leite fresco para acompanhar
*Se você não tiver uma frigideira bem grande, diminua as quantidades ou faça metade de cada vez para acomodar as fatias de fruta lado a lado.

Modo de preparo
Descasque e corte as bananas em fatias finas. Em uma frigideira de ferro grande, derreta a manteiga com as raspas de laranja e coloque as bananas. Vire as fatias quando estiverem douradas, depois polvilhe açúcar sobre elas. Quando o outro lado estiver dourado, adicione o Cointreau à frigideira com uma colher ou uma concha (não jogue direto da garrafa, para evitar acidentes; e mantenha por perto uma tampa de panela para o caso de precisar abafar as labaredas). Flambe imediatamente — com cuidado, use um acendedor de fogão ou um fósforo longo para colocar fogo na bebida dentro da frigideira; ou incline um pouco a frigideira, para o lado oposto ao que você está, até a chama do fogão atingir a bebida e provocar labaredas.

Quando o fogo na frigideira acabar, sirva as bananas com o creme de leite batido até adquirir consistência de chantilly.