[caption id="attachment_4274" align="alignnone" width="640"]Meus primeiros biscoitos deram muito certo Meus primeiros biscoitos deram muito certo[/caption]

Tenho uma amiga, a Paula Moura, que é especialista em chás. Escreve reportagens sobre o assunto, estudou a cerimônia do chá japonesa e morou no Japão para ver o ritual de perto (quer dizer, não cruzou o mundo só pra isso, mas certamente tomou bastante chá por lá…). Sempre que viaja, a Paula – ocidental, de uma família de produtores de café em Minas Gerais – traz chás diferentes. Agora, recém-chegada de Washington, ela propôs fazer aqui em casa uma degustação das variedades que trouxe na bagagem. Minha contribuição, ela ainda não sabe, serão os biscoitos de castanha-do-pará que eu ensinarei a fazer a seguir.

Não tenho costume de fazer biscoitos em casa. Muito menos de promover chás da tarde. Meu marido, Marcos, que mantém um blog botequeiro, achou graça: “Vocês vão brincar de casinha?”. E eu logo me imaginei como Elly, a elefanta do desenho animado Pocoyo, sentada diante de uma boneca e segurando uma xícara com o dedinho levantado – como mãe, é esse tipo de coisa que eu assisto ultimamente.

[caption id="attachment_4273" align="alignleft" width="300"]Eu me senti meio assim, brincando de chá como a Elly do desenho Pocoyo Eu me senti meio assim, brincando de chá como a Elly do desenho Pocoyo[/caption]

Quando o cheiro de castanha-do-Pará tomou conta da casa, Marcos trocou as gracinhas por um “Huummm…”. Depois provou a receita pronta e comentou, brincando, que eu poderia vender minha produção para a cafeteria perto de casa. Desde então, já o vi assaltar o pote de biscoitos algumas vezes. Espero que sobre algum para mais tarde.

Ingredientes
100 gramas de castanhas-do-pará moídas (pesadas sem a casca)
200 gramas de manteiga
200 gramas de farinha de trigo
70 gramas de açúcar

Modo de preparo

Em uma tigela, misturei todos os ingredientes com as mãos (que ficaram bem macias depois de mexer em tanta gordura) até obter uma massa compacta. Moldei bolas pequenas, pouco maiores que bolinhas de gude, e as distribuí em uma assadeira untada, deixando espaço para que crescessem. Depois de fazer 42 biscoitos, o que cabia na minha assadeira, ainda sobrou um pouco de massa, então eu a envolvi em filme plástico e a guardei no congelador para tentar assar depois. Levei a assadeira ao forno baixo (180ºC). Em 20 minutos os biscoitos estavam prontos. Na receita original, depois de assados eles eram passados em uma mistura de açúcar e baunilha em pó, mas eu açucarei um e achei que não precisava de mais açúcar na minha vida. Eles ficam perfeitamente bons sem essa última etapa.

6 Comments on Biscoitos de castanha-do-pará para servir com chá (ou café)

  1. Vou fazer. Mas gostaria de saber se leva fermento em pó ou a farinha é com fermento? Sou a mãe de Simone e adoro cozinhar . Um abraço.a

  2. Oi, Mariana. Esses biscoitos são mesmo deliciosos e fáceis de fazer. Desde minha adolescência os fazia e presenteava minhas amigas, colocando-os em pacotinhos simpáticos. Quando cortados por forminhas divertidas, podem ser excelentes lembrancinhas de Natal. Saudades, filha, de tudo. É muito gostoso saber que vc está curtindo esse caderno de receitas. Beijos.

2Pingbacks & Trackbacks on Biscoitos de castanha-do-pará para servir com chá (ou café)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *